Sobre

Quem somos

Um ecossistema de ensino e pesquisa que investiga como as máquinas podem melhorar sua percepção, sua cognição e suas ações com a experiência em aplicações de visão computacional e processamento de linguagem natural nas áreas de direito, comunicação, economia e tecnologia das comunicações. 


O que fazemos

Formamos profissionais em nível de graduação, pós-graduação e extensão e realizamos pesquisas e projeto de PD&I em Machine Learning, com foco em Deep Learning e nas modernas arquiteturas de Inteligência Artificial, buscando entender como fazer com que as máquinas possam  aprender a tratar de forma eficaz e eficiente conjuntos grandes e complexos de dados. 


Equipe

Luis Fernado Ramos Molinaro

COORDENADOR GERAL

Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (1979), mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (1981) e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo (1991). Atualmente é professor Titular da Universidade de Brasília, trabalhando principalmente nos seguintes temas: telecomunicações, videoconferência, educação, redes de comunicação, gestão de processos, gestão de organizações de TI e aplicação de Machine Learning e Deep Learning em visão computacional e processamento de linguagem natural.

Paulo Henrique Portela de Carvalho

Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (1988), mestrado em D.E.A. dElectronique en Communications Optiques et Microondes – Université de Limoges (1989) e doutorado da Université de Limoges – Communications Optiques et Microondes – Université de Limoges (1993). Atualmente é professor associado da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Sistemas de Telecomunicações, atuando principalmente nos seguintes temas: circuitos lineares e não lineares de altas frequências, aplicação de métodos evolucionários à síntese e à otimização de sistemas de comunicação, aplicação de métodos ditos de machine learning a sistemas de comunicação, modelagem do canal de comunicação: propagação em canais wireless e modelagem da banda passante efetiva.

ELIOMAR ARAÚJO DE LIMA

É graduado em Ciência da Computação pela PUC-GO (2009). Doutor em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (2015). Mestre em Gestão de Empresas pelo ISCTE Business School (2009, Top 10 das escolas de negócio europeias). Especialista em Gestão de Projetos pela FGV (2004), em Telecomunicações pela Escola de Engenharia da UFG (2007) e Gestão em Sala de Aula pelo Unidesc (2010). Atualmente é Professor Adjunto do Instituto de Informática da UFG, Coordenador do Apoema Tecnologia e Inovação e há mais de 15 anos atuando no magistério superior. Foi Diretor de TI na Aeronáutica entre 2009 e 2014 e Consultor em TI por mais de 10 anos. Exerce as funções de Analista de Sistemas, de Processos, de Negócios e de Decisão desde 2002. Atua como pesquisador e consultor em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor público e em empresas privadas há mais de 12 anos. Possui interesse nas áreas de Governança de TIC; Arquitetura e Engenharia de Sistemas de Informação; Mecanismos de Aprendizagem e Tomada de Decisão; e Tecnologias de Gestão de Negócios Criativos.

ALEXANDRE RICARDO SOARES ROMARIZ

Adolfo Bauchspiess possui graduação e mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (UnB -1986, 1990) doutorado (Dr.-Ing.) em Engenharia Elétrica pela Universität Erlangen-Nürnberg/Alemanha (1995). Usufruiu um ano em licença sabática na Universität Kaiserslautern/Alemanha, 2005-2006, (Prof. Litz) e seis meses em 2014 na University of California, Santa Barbara/USA (Prof. Hespanha). Atualmente é Professor Associado IV do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília e membro do LARA/UnB – Laboratório de Automação e Robótica. Suas principais áreas de atuação são sistemas inteligentes (deep machine/reinforcement learning), eficiência energética em automação predial IoT e identificação de sistemas dinâmicos.

Daniel Guerreiro e Silva

Engenheiro de Computação (2006), Mestre (2009) e Doutor (2013) em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. É professor adjunto do Departamento de Engenharia Elétrica da Faculdade de Tecnologia da Universidade de Brasília (UnB). Suas principais áreas de pesquisa são: processamento adaptativo de sinais, inteligência computacional, aprendizado de máquina baseado na teoria da informação.

Vinícius de Oliveira Silva

Possui graduação em Engenharia de Teleinformática com ênfase em Engenharia da Computação pela Universidade Federal do Ceará (2013). Possui mestrado em Engenharia de Sistemas Eletrônicos e de Automação na Universidade de Brasília (2017). Atualmente aluno de Doutorado em Engenharia de Sistemas Eletrônicos e de Automação na Universidade de Brasília. Tem interesse nas áreas de Aprendizado de máquina, Inteligência Computacional, Reconhecimento de Padrões, Engenharia Biomédica, Deep Learning, Visão Computacional e Processamento de Sinais e Imagens, Processamento de Linguagem Natural e Big Data. Cientista de Dados na Stefanini IT Solutions e Professor na Pós-Graduação em Inteligência Artificial no IESB (Instituto de Educação Superior de Brasília) nos tópicos de Deep Learning, Visão Computacional e Processamento de Imagens.

João Paulo Leite

Possui graduação em Engenharia de Redes de Comunicação pela Universidade de Brasília (2007), mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (2009) e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília (2014). Atualmente é professor adjunto em dedicação exclusiva da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Sistemas de Telecomunicações.


Áreas de Atuação do Brasil + IA 

Direito, Economia, Políticas Públicas, Regulação (saúde, telecomunicações, energia elétrica e outros), Tecnologias educacionais e soluções de Engenharia embasadas em Inteligência Artificial. 


De onde viemos:
A origem do Brasil + IA

Vinculação ao CCOM/UnB  

Nosso ecossistema de ensino e pesquisa nasceu vinculado  ao Centro de Políticas, Direito, Economia e Tecnologias das Comunicações – CCOM da Universidade de Brasília, criado pela Resolução do Conselho Universitário nº 14, de 25 de junho de 2007, e que tem atuado em mais de uma centena de projetos multidisciplinares, ininterruptamente até o presente momento. 

Como nasceu o CCOM 

Desde a segunda metade da década de 90, ao se deparar com a evolução tecnológica, estruturou-se na Universidade de Brasília na forma de grupo de pesquisa multidisciplinar, envolvendo as áreas de direito, comunicação, economia e tecnologia, para analisar a evolução tecnológica  e desenvolver soluções apropriadas. 

Nos últimos 20 anos do CCOM 

Realizou, com financiamento oriundo da iniciativa privada e de órgãos governamentais, mais de uma centena de projetos, desde a capacitação com uso de tecnologias educacionais até a prototipação de produtos de interesse dos parceiros. 

Resultados anteriores na formação de recursos humanos 
  • 20 teses de doutorado
  • 500 profissionais
  • +120 dissertações de mestrado
  • +1000 alunos de graduação formados
  • +10.000 profissionais de diversas áreas treinados
  • +1000 cursos de curta duração
Histórico de  Parceiros públicos e privados

compaq
NOKIA
SOLECTRON

ITU
Claro
NORTEL
hp
motorola
alcatel

ANEEL
ANATEL
TST
STJ
TCU
STF
Câmara dos Deputados
Senado Federal

Vinculação ao CEIA

O CEIA foi criado em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás – FAPEG e tem por missão disponibilizar e transferir tecnologias baseadas em Inteligência Artificial, promovendo a competitividade de organizações públicas e/ou privadas, através do desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras com foco principal para o setor de saúde, logística, segurança, energia e cidades inteligentes envolvendo empresas, startups do ecossistema e instituições de ensino e pesquisa.

Projetos vinculados ao CEIA

Multinacionais como HP, Dell, Facebook, Google, Intel, Microsoft e Samsung já realizaram projetos em parceria com o Instituto, que também oferece serviços a empresas de todo o país por meio do seu Centro de Tecnologia de Software (CTS) e da Fábrica de Software (FS INF/UFG). Nacionalmente, o Instituto vem realizando convênios com empresas como AmericasHealth, Copel, Hospital Israelita Albert Einsten, ifood, além de órgãos federais, estaduais e municipais, além de entidades de classe.